FERIADO DE TIRADENTES, MISSA AFRO E LETRAMENTO RACIAL EM ARTUR NOGUEIRA, SP.

 

A última aula de um curso de letramento racial oferecido pela Pastoral afro da cidade de Artur Nogueira na Igreja de Santa Rita de Cássia.  Foi discutido questões relacionadas a nossa associação afro e seus desafios como, por exemplo, a eleição da nova diretoria.  O culto rezado pelo padre Lázaro.

]

Padre Laro, e Professr Denis (USP) Carlos Pinheiro

Contudo, o grupo musical formado por instrumentos de percussão, violão e um grupo de mulheres negras cantando os cantos finais. novidade, esse estilo afro musical de cantos religiosos que são vistos em ou em documentários da internet.

           

 

 

A palestra foi ministrada por professor Dennis de Oliveira, da Universidade de São Paulo (USP), que abordou o conceito de racismo estrutural e como ele o vê e explicou como esse racismo ele funciona na sociedade. Entre alguns pontos importantes destacou que para muitas pessoas não negras isso é difícil enxergar o seu próprio racismo estrutural, pois elas não conseguem de imediato às vezes entender que aquele sistema está implantado nela desde a infância. Ao receber informações de que os negros devem ser apenas empregados braçais e mal remunerados. E outras atitudes comportamentais delas em relação às pessoas negras como aqueles indivíduos que devem ficar em segundo plano na sociedade. Ou exercer funções desprestigiadas ou de profissionais que não têm ganhos elevados ou de liderança gratidão,

       

 

 

O treinamento foi retomado, com a professora Eunice Prudente, que trouxe um panorama do Direito Brasileiro desde o período Colonial. Ela elencou algumas leis que prejudicaram o acesso dos negros aos bens públicos e algumas políticas públicas.  Ouve também uma roda de conversa organizada pelo professor Celso de Oliveira, também da USP de Pirassununga, quando iniciou uma recapitulação de vários pontos discutidos pelo corpo docente nos módulos virtual e presencial

Prof,Celso de Oliveira e Prof,da (USP)

 

 

Relatou Carlos Pinheiro que nos mandou carinhosamente esta matéria ´´muito satisfeitos com essa vivência em Artur Nogueira. Os conteúdos apreendidos, as trocas de experiências nos animaram a recapitular os nossos próximos passos listados na ida. Tudo que ouvimos sobre os nossos problemas em relação à questão racial fizeram enxergar a nossa própria cidade. E também rimos bastante sobre questões da nossa vida e dos nossos desafios enquanto pessoas negras interioranas diante do racismo estrutural.

Carlos Pinheiro

 

Oxalá que tenhamos outros momentos assim e que a questão do racismo não seja só vista como uma coisa exclusiva das pessoas pretas, para superá-lo, nós precisaremos do apoio e da boa vontade de todas. Em suma, todos os corpos independentes da cor merecem viver com segurança e dignidade, pois nós todos somos capazes de ajudar a transformar o Brasil numa sociedade mais justa socialmente ambientalmente e também igualitariamente. “

 

O que achou?

comentários

Share This