BREAKING NEWS

Violência nas redes sociais deve ser arquivada para processos futuros, diz ONG

Fonte: A_Referencia Conteúdos de ódio ou com forte violência não devem ser excluídos de forma permanente das redes sociais, mas sim arquivados para posterior investigação, defende a organização HRW (Human Rights Watch), m relatório publicado na quinta-feira (10). No...

HSBC lucrava com esquema criminoso internacional de mais de US$ 2 trilhões

Fonte: A_Referencia Em documentos vazados, ficou comprovado que HSBC oferecia serviços a cartéis de drogas e criminosos. A instituição financeira HSBC lucrou durante quase 20 anos com um esquema criminoso internacional que movimentou mais de US$ 2 trilhões. O...

Covid-19: Brasil ingressa em consórcio global para produzir vacina

Fonte: “Agencia_Brasil” O governo federal anunciou, nesta terça-feira (2), a participação do Brasil no projeto Acelerador de Vacina (ACT Accelerator), iniciativa internacional para produção de vacina, medicamentos e diagnósticos contra o novo coronavírus. O projeto...

Golpistas usam cadastro no PIX para roubar dados de consumidores

Fonte: G1 Clientes devem estar atentos e fazerem cadastro no sistema diretamente pelo site ou aplicativo da instituição financeira, em ambiente logado. Previsto para começar a operar em novembro, o Pix, sistema criado pelo Banco Central que vai permitir transações...

NOVO IMPOSTO atinge a classe média e empresários pagarão menos

Fonte: R7 Senadora, integrante da comissão mista para a reforma tributária, acha difícil a aprovação de imposto sobre pagamentos digitais como quer governo. A criação de um novo imposto sobre pagamentos digitais tem poucas chances de ser aprovada no Congresso por...

Bomba fiscal revela que a imagem de Trump é uma farsa

Fonte: CNN - análise de Stephen Collinson Foi o momento em que o fabulismo da "Arte do Negócio" de Donald Trump, fanfarronice do magnata bilionário e porta-estandarte populista para americanos esquecidos se revelou o que sempre pareceu: uma farsa. Uma impressionante...

Conselho do Meio Ambiente pode revogar nesta segunda proteção a manguezais e restingas

Fonte: El Pais/Reuters Atos defendidos pelo ministro Ricardo Salles privilegiam a instalação de hotéis no litoral brasileiro, em detrimento de 1,6 milhão de hectares de áreas de proteção permanente. Em uma articulação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, o...

Americanos sem seguro podem enfrentar quase US $ 75.000 em contas médicas se hospitalizados por coronavírus

Fonte: CNBC News Graças aos legisladores, os testes de coronavírus agora são gratuitos para todos os americanos. Mas se você tiver um teste positivo para COVID-19 e precisar de tratamento, as contas do hospital podem facilmente custar aos americanos dezenas de...

Por que os EUA foram a única potência ocidental a rejeitar o sistema de saúde universal após a 2ª Guerra Mundial?

Fonte: BBC News "Se um trabalhador tem um membro da família com câncer, ele pode ir à falência... como isso pode acontecer em um país tão rico? Entenda  o motivo História Americana sobre a Saúde  Em 1945, Harry Truman se tornou o primeiro presidente americano a...

Brasil/ Paraguai – CHEIRAR VINAGRE ESTÁ NO PROTOCOLO APRESENTADO PELO PARAGUAI PARA A REABERTURA DA PONTE DA AMIZADE

Fonte: ClickFoz Teste olfativo também faz parte do método usado pelo exército dos Estados Unido. Autoridades do Poder Executivo, juntamente com o governador de Alto Paraná e prefeitos locais, participaram nesta sexta-feira de uma reunião com o objetivo de fechar uma...

Por que Israel fracassa no combate à pandemia do novo coronavírus?

Fonte: G1

Por pressão dos ultraortodoxos, que sustentam parte de seu governo, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu voltou atrás no plano de lockdown em 40 cidades israelenses classificadas com a cor vermelha, com alta taxa de infecção pelo novo coronavírus.

De modelo, país passa rapidamente a primeiro lugar em infecções per capita no mundo e reflete inação do governo Netanyahu, que cede a pressões de religiosos.

De exemplo na condução da pandemia, Israel passou rapidamente para o extremo oposto: a derrota pôs o governo de joelhos diante do ressurgimento do vírus.

Na semana passada, os israelenses testemunharam a disparada de casos a uma cifra constrangedora de 3 mil por dia, o que fez de Israel o país líder em infecções per capita (199 doentes para cada milhão de pessoas), no ranking da Universidade Johns Hopkins.

“É incrível pensar como Israel deixou de ser o país que todos no mundo olhavam como modelo para um país que todos agora olham como um exemplo do que não se deve fazer”, constatou, em editorial, o jornal “Jerusalem Post”.

O que deu errado?

Os críticos responsabilizam, sobretudo, a politização da doença. A rígida quarentena deu lugar à rápida reabertura da economia depois que o premiê declarou antecipadamente a vitória sobre o vírus.

As restrições foram suspensas com avidez em comércio, bares, restaurantes, escolas e transportes públicos. A onda de calor aboliu o uso de máscaras. Casamentos, grandes reuniões e cultos em templos religiosos voltaram a acontecer como se, de um dia para o outro, não representassem mais ameaça.

Era a senha para a segunda onda da pandemia, que o governo claramente não soube como conter e afunda diante da realidade de um milhão de desempregados. Para aplacar os ânimos e o agravamento da doença, Netanyahu nomeou um czar do coronavírus: o ex-diretor-geral do Ministério da Saúde Ronni Gamzu. Mas, sem clara autoridade para cortar a cadeia de infecção, ele permaneceu no limbo, como constatou Maayan Jaffe-Hoffman, editora do “Jerusalem Post”.

O aumento de testes revela também o grau do descontrole: dos 18.414 processados neste domingo, 12,3% deram positivo — o dobro da taxa registrada na última semana de agosto.

Ainda assim, Netanyahu capitulou diante de uma carta enviada por prefeitos de quatro cidades habitadas por ultraortodoxos, que entrariam em lockdown a partir de domingo.

O bloqueio total foi substituído pelo toque de recolher entre 19h e 5h, que também acabou não sendo implementado. O czar age como consultor, mas seus planos para conter a doença esbarram nos interesses políticos.

Os prefeitos ultraortodoxos acusaram o premiê de pisar em suas comunidades, transformando-as em “vetores de doenças e inimigos do povo”. E ameaçam deixar de cooperar com o governo. Traduza-se por isso a dependência de Netanyahu, réu em três processos por corrupção e abuso de poder, dos partidos religiosos. O toma-lá-dá-cá ficou evidente para o amplo leque político entre a extrema-esquerda e a direita nacionalista.

O negócio é simples. Bibi (apelido do premiê) está dando aos ultraortodoxos tudo que eles querem e, em resposta, eles o tiram da prisão.

As necessidades legais do réu criminal superam qualquer coisa”, denunciou o deputado Yair Golan, do Meretz. “Estamos todos reféns. Netanyahu não tem medo de Deus, mas dos representantes de Deus no Parlamento”, completou Avigdor Lieberman, do nacionalista Yisrael Beitenu.

O premiê deixa claro que a pandemia não é prioridade do governo, que balança numa frágil coalizão formada com o partido adversário em três eleições — o Azul e Branco, liderado por Benny Gantz. E, sem uma clara diretriz, o público israelense acaba automaticamente refletindo o não comprometimento das autoridades com o combate à doença.

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
News Por que Israel fracassa no combate à pandemia do novo coronavírus?