Pazuello convoca reunião de emergência após oxigênio acabar em hospitais de Manaus

O Ministério da Saúde realiza uma reunião de emergência, na tarde desta quinta-feira (14/01), para tratar da falta de oxigênio em Manaus, que tornou ainda mais caótica a situação na cidade.

O número de pacientes internados com covid-19 explodiu na capital do Amazonas e os estoques do gás zeraram nos grandes hospitais. A Fiocruz aponta que a situação é grave e diz que os leitos de UTI se tornaram verdadeiras “câmaras de asfixia”.

 

De acordo com fontes ligadas ao governo, Pazuello tenta encontrar uma saída para amenizar o problema. Uma das possibilidades avaliadas é convocar ajuda em larga escala das Forças Armadas para transportar oxigênio de outros estados para Manaus ou até mesmo ampliar a transferência de pacientes da capital amazonense para hospitais em outras regiões.

 

Mesmo nas unidades de saúde da rede privada, a situação é grave. De acordo com dados da Secretaria de Saúde do Amazonas, o estado já tem mais de 5,8 mil óbitos confirmados pela covid-19 e 218 mil casos registrados.

 

Crise no governo

 

A avaliação por interlocutores do Palácio do Planalto é a de que o ministro Eduardo Pazuello é um desastre na gestão da saúde. Além de permitir que os hospitais de Manaus ficassem sem estoques de oxigênio, sem reposição, ele também teria repassado dados errados sobre o estoque de seringas e agulhas nos estados para o Supremo Tribunal Federal (STF).

 

A visão é de que, na ânsia de cumprir o prazo dado pelo ministro Ricardo Lewandowski, Pazuello colheu dados incompletos, o que fez com que o material guardado nas unidades da federação aparentasse ser ainda menor. No governo, cresce o rumor de que ele poderá ser demitido pelo presidente Jair Bolsonaro caso a situação não seja contornada nas próximas horas.

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
NewsPazuello convoca reunião de emergência após oxigênio acabar em hospitais de Manaus