BREAKING NEWS

Psol entra com ação no STF Para barrar treinamento Militar dos EUA no Brasil

O Psol entrou com um mandado de segurança no STF (Supremo Tribunal Federal) para impedir que militares dos Estados Unidos realizem um exercício militar no Brasil. Em comunicado divulgado nesta 6ª feira (15.out.2021), o partido afirma que o treinamento “além de...

Arquivo de fitas e marca da Rede Manchete são arrematados em leilão por R$ 500 mil

A marca da Rede Manchete e o arquivo de mais de 25 mil fitas da emissora, que encerrou suas atividades em 1999, foram arrematados por valores que somam R$ 500,5 mil em leilão on-line encerrado na tarde desta quinta-feira, 14. A identidade dos arrematantes não foi...

Aconteceu nessa ultima Sexta – Evento de empreendedoras

Nessa ultima sexta dia 15 de outubro aconteceu o evento das empreendedoras karina Renno com a kariok Fashion Fitness , Fran Borges com a Caligula e Larissa Melo no espaço da The Fashion Lounge em Metro West. A proposta foi oferecer para as clientes um dia descontraído...

EUA abre para visitantes estrangeiros vacinados a partir de 8 de novembro

A Casa Branca confirmou a tão esperada data em que receberá viajantes estrangeiros novamente. Aqueles que estiverem totalmente vacinados contra o Covid-19 poderão viajar para os EUA a partir de 8 de novembro, tuitou Kevin Munoz, secretário assistente de imprensa....

Assassinato do parlamentar britânico morto a facadas

O parlamentar britânico Sir David Amess, do Partido Conservador, morreu após ser esfaqueado em Essex, na Inglaterra. A polícia disse que um homem de 25 anos foi preso sob suspeita de assassinato após o ataque, em uma igreja na cidade de Leigh-on-Sea. A polícia disse...

EUA liberam entrada de brasileiros vacinados a partir de 8 de novembro; entenda regras

O governo americano anunciou nesta sexta-feira (15/10) que brasileiros vacinados contra a covid-19 poderão entrar nos Estados Unidos sem restrições a partir de 8 de novembro. O anúncio representa o fim da obrigatoriedade de quarentena em um terceiro país para...

Miami é a Cidade Mágica, e em breve a capital mundial das Criptomoedas

Qual a capital das criptomoedas nos Estados Unidos? Definitivamente, Miami, agora. A maior coisa que eu acho que é puxar as pessoas para dentro, é o sucesso da noite para o dia, disse Mr. Sekinger, Pesidente da Orca Capital, um fundo de criptomoedas com sede em Miami....

Brickell (Miami) – o bairro mais legal de Miami

Brickell, o ponto “X” da Cidade. Venha conhecer e/ou usufruir... A rapidez com que as coisas mudam em Miami, como,  Brickell  é agora o bairro mais legal da cidade. Brickell evoluiu tremendamente ao longo dos anos. Ele cresceu em tamanho e não apenas para cima com...

Volkswagen CEO warns shift to electric vehicles could cost 30,000 jobs -sources

Ilona Wissenbach     BERLIN (Reuters) -Volkswagen's CEO Herbert Diess told a supervisory board meeting in September that the company could lose 30,000 jobs if it transitioned too slowly to electric vehicles (EVs), two sources with knowledge of the matter told...

Lucid Debuts DreamDrive Driver Assist System To Rival Tesla Autopilot

A hands-free version for highway use is coming soon. By: Christopher Smith The Lucid Air is finally in production, and it's proving to be quite a competitor to Tesla in the luxury EV segment. Of course, one can't properly compete with Tesla unless there's some measure...

Lanterna do celular e 43°C: como é dar à luz sob Talebã

Rabia está carregando seu bebê recém-nascido, poucos dias após o parto em um pequeno hospital na província de Nangarhar, no leste do Afeganistão. “Este é meu terceiro filho, mas a experiência foi totalmente diferente. Foi horrível”, diz ela.

Em questão de semanas, a unidade de parto onde Rabia deu à luz foi reduzida ao atendimento básico. Ela não recebeu remédios nem alimentação.

Sem ventilação, a temperatura no hospital chegou a 43°C. A energia havia sido cortada e não havia combustível para operar os geradores. “Estávamos suando tanto que era como se estivéssemos tomando banho”, diz Abida, a parteira de Rabia, que trabalhou incansavelmente, no escuro, para realizar o parto. Sem luz, usou a lanterna do celular.

“Foi uma das piores experiências que já tive no meu trabalho. Foi muito doloroso. Mas esta é a nossa história de todas as noites e todos os dias no hospital desde que o Talebã assumiu o poder”, diz Abida.

Sobreviver ao parto significa que Rabia foi uma das mulheres que tiveram sorte. O Afeganistão tem uma das piores taxas de mortalidade materna e infantil do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Na média, 638 mulheres morrem no parto a cada 100 mil nascidos vivos.

O óbito materno é definido como a morte de uma mulher ocorrida durante a gestação, parto ou dentro de um período de 42 dias após o término da gravidez, por qualquer causa relacionada à gestação, não incluídas causas acidentais.

No Afeganistão, o cenário costumava ser pior antes da invasão das tropas lideradas pelos Estados Unidos, em 2001. No entanto, o progresso adquirido no atendimento materno e neonatal desde o início da ocupação está se desfazendo rapidamente.

“Agora há um grande senso de urgência e desespero. Realmente sinto o peso disso”, diz Natalia Kanem, diretora executiva do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O UNFPA estima que, sem apoio imediato para mulheres e meninas, poderia haver 51 mil óbitos maternos adicionais e 4,8 milhões de gestações indesejadas. Além disso, o número de pessoas sem acesso a clínicas de planejamento familiar pode dobrar até 2025.

“As unidades de saúde primárias em todo o Afeganistão estão entrando em colapso. As taxas de mortalidade materna e infantil vão aumentar, infelizmente”, diz Wahid Majrooh, chefe de saúde pública do Afeganistão. Ele é o único ministro que permaneceu em seu posto desde que o Talebã assumiu o controle da capital, Cabul, no mês passado.

Majrooh prometeu lutar pela saúde dos afegãos, mas enfrenta uma batalha difícil.

Sem litoral, o país ficou isolado do mundo após a recente ascensão do grupo extremista islâmico. A saída das tropas estrangeiras e a volta do Talebã ao poder levaram ao congelamento da ajuda estrangeira, que financia o sistema de saúde do Afeganistão. Doadores ocidentais, incluindo os EUA e grupos como a OMS, citam dificuldades em entregar fundos ao Talebã e suprimentos médicos pelo caótico aeroporto de Cabul.

O acesso a suprimentos e medicamentos importantes para a saúde reprodutiva das mulheres foi significativamente afetado. O momento é duplamente ruim, dada a disseminação do coronavírus. “Não há preparação para a possibilidade de uma quarta onda de covid-19”, diz Majrooh.

Na maternidade onde Abida trabalha, o congelamento de recursos significa que os funcionários também não podem operar o serviço de ambulância. Não há dinheiro para o combustível.

fonte bbc

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
Cidadania Lanterna do celular e 43°C: como é dar à luz sob Talebã