Brasileiros no exterior têm até maio para regularizar título eleitoral

De acordo com informações do Consulado Geral do Brasil em Miami, é importante que essa transferência – feita totalmente online – seja realizada o quanto antes, já que pode demorar até 30 dias para ser concretizada

Se você mora fora do Brasil e está cansado de apenas acompanhar as eleições presidenciais pela internet e não votar, ainda dá tempo de virar esse jogo. A emissão ou transferência do título eleitoral para o Exterior deve ser feita no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até o dia 4 de maio.

Caso esteja com o título em situação irregular, o prazo para atualizar o documento a tempo de votar em 2022 também termina no dia 4 de maio, cinco meses antes do pleito.

Vale lembrar que não é possível votar em outro país durante uma viagem a passeio. O voto em trânsito é permitido apenas em território brasileiro.

O coordenador do setor eleitoral do Consulado Geral do Brasil em Miami, Rui Campos, explica que, apesar de o prazo para transferir ou fazer o título de eleitor no exterior é maio, é importante que o cidadão brasileiro aja o quanto antes. “O TSE pode levar até 30 dias para processar os documentos e fazer a transferência do título. Por isso, alertamos para os eleitores que quiserem votar nas eleições presidenciais deste ano no exterior, que já transfiram o domicílio eleitoral o quanto antes”, explica.

Campos destaca que todo o processo está sendo realizado exclusivamente pela internet. “É importante ler atentamente as instruções para preenchimento do formulário e para fazer o upload dos documentos. No site do consulado temos todo o passo a passo”, afirma Rui.

O primeiro passo é fazer o cadastramento – se você nunca tirou o título de eleitor – ou o recadastramento/ transferência local de votação do Brasil para o exterior.

Após o preenchimento dos requerimentos iniciais – apresentação de uma foto ao lado de um documento de identidade oficial brasileiro, comprovante de residência no exterior e outras informações – o eleitor vai receber uma confirmação.

Lembrando que, para tirar passaporte, o cidadão deve estar em dia com as obrigações eleitorais.

Depois de receber do TSE a informação “Requerimento Aceito”, o eleitor deve seguir as instruções, preencher as informações adicionais e baixar o aplicativo E-Título. Pronto! Nos dias das eleições em outubro, o brasileiro que transferiu o título para o exterior poderá votar.

Aguarde para informações adicionais sobre locais de votação no exterior.

Status imigratório

É importante ressaltar que seu status imigratório nos Estados Unidos nada tem a ver com a sua situação eleitoral no Brasil.

Cidadãos brasileiros indocumentados nos EUA podem se cadastrar para votar no exterior se tiverem um documento de identidade oficial brasileiro válido – carteira de identidade, carteira profissional emitida por órgão criado por lei federal, certidão de nascimento ou casamento, passaporte, carteira de trabalho.

Segundo o TSE, nas Eleições Gerais de 2018, 500.727 eleitores brasileiros residentes no exterior estavam aptos a votar em 171 localidades eleitorais de 99 países. Desse total, 411.123 compareceram às urnas. Atualmente, 553.446 pessoas estão aptas a votar fora do Brasil.

Para mais informações acesse: http://miami.itamaraty.gov.br/pt-br/eleitoral.xml

Ou contate os canais de atendimento do TSE:

E-mail: eleitor.exterior@tre-df.jus.br

Telefone (+55 61 3048-1770) e

WhatsApp (+55 61 9 9293-9773)

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This
NewsBrasileiros no exterior têm até maio para regularizar título eleitoral