Ivermectina não previne doença grave de COVID-19, segundo estudo

FDA adverte contra tomar ivermectina para COVID-19

A FDA adverte as pessoas a não tomarem o medicamento ivermectina, usado para tratar parasitas em gado, para tratar ou prevenir o COVID-19.

Para o estudo, pesquisadores da Malásia inscreveram 490 pacientes com doenças leves a moderadas em 20 hospitais e um centro de quarentena COVID-19 na Malásia. O estudo ocorreu de 31 de maio a 25 de outubro de 2021.

Todos os pacientes receberam tratamento padrão, mas metade dos pacientes foram tratados com ivermectina por cinco dias. 

RELACIONADOS: Hospital de Ohio ordenado a tratar paciente COVID-19 com ivermectina apesar do aviso da FDA

De acordo com o estudo, 21,6% dos pacientes que receberam ivermectina desenvolveram uma doença grave em comparação com 17,3% daqueles que receberam apenas cuidados padrão e também desenvolveram uma doença grave, disseram os pesquisadores.

Doença grave foi definida como pacientes que necessitavam de oxigênio suplementar. 

“Neste ensaio clínico randomizado de pacientes de alto risco com COVID-19 leve a moderado, o tratamento com ivermectina durante a doença inicial não impediu a progressão para doença grave”, observaram os autores do estudo.

Pelo menos duas dúzias de ações judiciais foram movidas nos EUA, muitas nas últimas semanas, por pessoas que buscam forçar os hospitais a dar ivermectina a seus entes queridos afetados por COVID, um medicamento para parasitas que foi promovido por comentaristas conservadores como tratamento, apesar da falta. de evidências conclusivas de que ajuda as pessoas com o vírus.

RELACIONADOS: CDC vê ‘rápido aumento’ de doenças graves pelo uso de ivermectina para COVID-19

O interesse pela droga começou a aumentar no final do ano passado e no início deste, quando estudos – alguns posteriormente retirados, em outros países – pareciam sugerir que a ivermectina tinha algum potencial e se tornou um tema quente de conversa entre os conservadores nas mídias sociais .

Os processos, vários deles movidos pelo mesmo advogado do oeste de Nova York, cobrem terreno semelhante. As famílias receberam prescrições de ivermectina, mas os hospitais se recusaram a usá-lo em seus entes queridos, que muitas vezes estão em respiradores e enfrentando a morte.

Houve uma mistura de resultados nos tribunais estaduais. Alguns juízes se recusaram a ordenar que os hospitais administrassem ivermectina. Outros ordenaram que os médicos administrassem o medicamento, apesar das preocupações de que pudesse ser prejudicial.

RELACIONADOS: ‘Pare’: FDA adverte que a ivermectina não é um medicamento de tratamento COVID-19

A ivermectina é aprovada pela Food and Drug Administration para tratar infecções de lombrigas, piolhos e outros pequenos parasitas em humanos. A FDA tentou desmascarar as alegações de que as versões de força animal do medicamento podem ajudar a combater o COVID-19, alertando que tomá-lo em grandes doses pode causar náusea, vômito, diarreia, convulsões, delírio e até morte.

“Você não é um cavalo. Você não é uma vaca, sério, pessoal. Parem com isso”, tuitou a FDA em 21 de agosto.

Segundo a Reuters, o uso de ivermectina para COVID-19 deleite está sendo investigado em um ensaio Reino Unido pela Universidade de Oxford.

FONTE FOX35

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
NewsIvermectina não previne doença grave de COVID-19, segundo estudo