McDonald’s, Starbucks e Coca-Cola deixam a Rússia

O McDonald’s e a Starbucks de Nova York estão fechando seus restaurantes e cafés na Rússia, e a Coca-Cola está suspendendo suas operações lá em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia. A PepsiCo também está retirando alguns produtos do país.

“O McDonald’s decidiu fechar temporariamente todos os nossos restaurantes na Rússia e pausar todas as operações no mercado”, disse o CEO Chris Kempczinski em comunicado na terça-feira.
Havia 847 lojas do McDonald’s na Rússia no final do ano passado, de acordo com um documento do investidor.

O McDonald's disse na terça-feira que está fechando suas unidades na Rússia.

Globalmente, a maioria dos locais do McDonald’s ( MCD ) são operados por operadores de franquia. Mas não é o caso da Rússia, onde 84% dos locais são operados pela empresa, segundo o documento. Os restaurantes da Rússia, juntamente com outros 108 na Ucrânia, todos operados pelo McDonald’s, responderam por 9% da receita da empresa em 2021, segundo o documento.
“Na Rússia, empregamos 62.000 pessoas que colocaram seu coração e alma em nossa marca McDonald’s para servir suas comunidades. Trabalhamos com centenas de fornecedores e parceiros locais e russos que produzem os alimentos para nosso cardápio e apoiam nossa marca”, disse Kempczinski . “E atendemos diariamente milhões de clientes russos que contam com o McDonald’s. Nos mais de trinta anos em que o McDonald’s operou na Rússia, nos tornamos uma parte essencial das 850 comunidades em que operamos.”
Mas, acrescentou, “ao mesmo tempo, nossos valores significam que não podemos ignorar o sofrimento humano desnecessário que se desenrola na Ucrânia”.

Starbucks

Em uma mensagem de terça-feira aos funcionários, o CEO da Starbucks, Kevin Johnson, disse que “hoje, decidimos suspender todas as atividades comerciais na Rússia”.
Ele acrescentou que “nosso parceiro licenciado concordou em pausar imediatamente as operações da loja e fornecerá suporte aos quase 2.000 [funcionários] na Rússia que dependem da Starbucks para sua subsistência”.
Johnson acrescentou que a Starbucks está interrompendo o envio de todos os produtos da Starbucks para a Rússia. “Condenamos os horríveis ataques à Ucrânia pela Rússia e nossos corações estão com todos os afetados”, disse ele.

Coca

A Coca-Cola também disse na terça-feira que está “suspender seus negócios na Rússia”.
A empresa afirmou que “nossos corações estão com as pessoas que estão sofrendo os efeitos inconcebíveis desses trágicos eventos na Ucrânia”, acrescentando que monitorará a situação à medida que as coisas mudarem.

PepsiCo, Danone e Unilever

Na terça-feira, o CEO da PepsiCo, Ramon Laguarta, explicou como a PepsiCo está abordando a situação.
“Dados os terríveis eventos que ocorrem na Ucrânia, estamos anunciando a suspensão da venda da Pepsi-Cola e de nossas marcas globais de bebidas na Rússia, incluindo 7Up e Mirinda”. Laguarta acrescentou que a Pepsi está suspendendo investimentos de capital, anúncios e atividades promocionais na Rússia.
Mas a PepsiCo continuará vendendo alguns de seus produtos, incluindo fórmulas infantis, alimentos para bebês, leite e outras opções de laticínios.
“Temos a responsabilidade de continuar oferecendo nossos outros produtos na Rússia, incluindo itens essenciais diários”, disse Laguarta. “Ao continuar operando, também continuaremos a apoiar os meios de subsistência de nossos 20.000 associados russos e dos 40.000 trabalhadores agrícolas russos em nossa cadeia de suprimentos, pois eles enfrentam desafios significativos e incertezas pela frente”, acrescentou.
Farryl Bertmann, nutricionista registrado e professor sênior do departamento de nutrição e ciências alimentares da Universidade de Vermont, alertou que, se as grandes empresas de alimentos deixarem a Rússia inteiramente, a população cidadã poderá sofrer, mesmo que tenha outras fontes de alimentos.
“Sinto fortemente que as pessoas devem ter a oportunidade de comprar uma variedade de alimentos em diferentes faixas de preço”, disse ela. “Isso só pode ser feito com sucesso se houver acesso.”
Ela disse que “em última análise, os alimentos precisam ser disponibilizados”, acrescentando: “Eu ficaria muito preocupada se o ambiente alimentar mudasse drasticamente”.
Outras empresas adotaram uma abordagem semelhante à Pepsi.
A Danone ( DANOY ) , que fabrica alternativas ao leite Silk, Activia, iogurte Oikos, fórmula para bebês e muito mais, disse em um post no LinkedIn no domingo que “decidimos suspender todos os projetos de investimento na Rússia”, acrescentando que “manterá nossa produção e distribuição de produtos lácteos frescos e nutrição infantil, para ainda atender às necessidades alimentares essenciais da população local.”
A Unilever ( UL ) fez uma declaração semelhante nesta semana, dizendo que “continuaremos fornecendo nossos alimentos e produtos de higiene essenciais diários feitos na Rússia para as pessoas no país”, acrescentando que “vamos manter isso sob estreita revisão”.
A empresa observou que suspendeu as importações de seus produtos para a Rússia e está interrompendo todos os investimentos no país, além de interromper as exportações de lá. Ele disse que não vai lucrar com sua presença na Rússia.

Biden anuncia proibição de importações de energia da Rússia

Enfrentando a pressão

Os anúncios seguiram a pressão de críticos que pediram que as empresas deixassem a Rússia. Várias empresas ocidentais em vários setores interromperam as operações na Rússia após o ataque do país à Ucrânia , mas alguns restaurantes continuam vendendo seus produtos no país.
Para algumas cadeias de restaurantes, isso pode ocorrer porque os locais são operados por franquias, dando aos proprietários corporativos menos controle.
A Yum Brands ( YUM ) , dona do KFC, Pizza Hut, Taco Bell e Habit Grill, disse em comunicado que “suspensou todos os investimentos e desenvolvimento de restaurantes na Rússia”.
A empresa acrescentou que “redirecionará todos os lucros das operações na Rússia para esforços humanitários”, além de fazer doações à Cruz Vermelha por meio da Yum Brands Foundation.
A empresa também disse que está “suspender as operações dos restaurantes de propriedade da empresa KFC na Rússia e finalizando um acordo para suspender todas as operações do restaurante Pizza Hut na Rússia, em parceria com seu franqueado master”.
“Esta ação se baseia em nossa decisão de suspender todos os investimentos e desenvolvimento de restaurantes na Rússia e redirecionar todos os lucros das operações na Rússia para esforços humanitários”, disse a empresa em comunicado à imprensa.
Yum tem cerca de 1.000 restaurantes KFC e 50 locais Pizza Hut na Rússia. A empresa disse que a maioria deles é operada por proprietários independentes.
No Twitter, as pessoas usaram hashtags de boicote para atingir empresas como McDonald’s e PepsiCo, que até hoje não falavam sobre seus planos para a Rússia.
McDonald’s, PepsiCo e outras empresas foram chamadas pelo controlador do estado de Nova York, Thomas DiNapoli.
Antes de o McDonald’s fazer seu anúncio, DiNapoli enviou um e-mail a várias empresas representadas no Fundo Comum de Aposentadoria do Estado de Nova York, incluindo PepsiCo e McDonald’s, pedindo que parassem de fazer negócios com a Rússia.
“Empresas como McDonald’s e PepsiCo, que têm uma grande presença na Rússia, precisam considerar se fazer negócios na Rússia vale o risco durante esse período extraordinariamente volátil”, disse a DiNaPoli em comunicado.

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
NewsMcDonald’s, Starbucks e Coca-Cola deixam a Rússia