Açúcar para Diabéticos: o que pode ou não.

Quando se fala em tratamento de diabetes, é bastante comum que a pessoa diabética pense que está proibida de consumir sacarose (açúcar) para manter equilibrados os níveis de glicose do sangue. No entanto, a sacarose não é tão prejudicial quanto se pensa: na verdade, ela altera os níveis glicêmicos da mesma forma como qualquer outro carboidrato.
É por isso que o tratamento atual da diabetes tem como objetivo manter a glicemia próxima dos valores normais e controlar o peso corporal por meio de medidas como a atividade física, a medicação e a dieta equilibrada. Portanto, a não ser que o diabético tenha baixa absorção da sacarose, o consumo de açúcar está liberado dentro de um plano de alimentação saudável.

Como incluir o açúcar na dieta do diabético

Apesar da sacarose não prejudicar o controle glicêmico das pessoas diabéticas, seu consumo deve ser feito em quantidades e frequências menores do que a da população geral. Sendo assim, desde que o diabético esteja com o peso e a glicose controlados, a sacarose pode representar até 10% do seu consumo energético total diário.
Além da sacarose, existem outras fontes naturais de açúcar que são permitidas na dieta do diabético (com as devidas restrições), como a lactose, a frutose e a glicose, contidas em alimentos como leite, frutas e alguns legumes.
O que se recomenda, portanto, é o maior controle da sacarose na sua forma livre, como no caso do açúcar de cana refinado (açúcar de mesa), do açúcar mascavo e do mel, pois estes podem promover picos glicêmicos elevados.

Adoçante pode substituir o açúcar?
Quando há restrição de consumo de sacarose, pode-se incluir na alimentação do diabético adoçantes sintéticos e produtos dietéticos que, apesar de não influenciarem o controle glicêmico, conferem doçura aos alimentos – algo que os diabéticos frequentemente sentem falta – e facilitam a adoção de dietas mais restritas.
No entanto, deve-se estar atento à presença de calorias e gorduras nesses produtos:

  • adoçantes calóricos (como sorbitol, manitol, xilitol e frutose) devem ser utilizados com moderação, pois podem causar aumento na ingestão calórica, o que não é benéfico para o controle do peso e da glicemia.
  • já o aspartame, o ciclamato, a sacarina, o acessulfame K e a sucralose são praticamente isentos de calorias e podem ser incluídos na nutrição do diabético sem maiores problemas, respeitando os limites de consumo diário desses adoçantes (geralmente informados pelos fabricantes).

É sempre bom lembrar, também, que os produtos dietéticos (como aqueles diet e light) nem sempre são indicados para diabéticos, pois podem conter açúcares e gorduras. Indica-se procurar orientação médica antes de incluir esses produtos na dieta.
Em resumo, com uma alimentação equilibrada e a adoção de hábitos saudáveis, é possível, sim, incluir o açúcar na dieta do diabético sem maiores problemas. Mas, lembre-se de consumi-lo sempre de forma moderada, afinal, o verdadeiro vilão da diabetes é o excesso! Além disso, não deixe de conversar com o seu médico!

 

Fontes: https://www.programasaudefacil.com.br/posts/acucar-para-diabeticos-o-que-pode-e-como-incluir-na-alimentacao

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
NewsAçúcar para Diabéticos: o que pode ou não.