Guerra na Ucrânia: Rússia manterá o principal gasoduto para a UE fechado

O gasoduto Nord Stream 1 em Lubmin, Alemanha

O principal gasoduto da Rússia para a Europa não reabrirá conforme planejado no sábado, aumentando as preocupações com o fornecimento de energia neste inverno.

A empresa estatal de energia Gazprom disse que encontrou um vazamento no Nord Stream 1, o que significa que pode ser fechado indefinidamente.

O oleoduto, que vai para a Alemanha, foi fechado por três dias para o que a Gazprom descreveu como trabalho de manutenção.

A Europa acusou a Rússia de usar seus suprimentos de gás para chantagear a Europa em meio ao conflito na Ucrânia, o que Moscou nega.

Os preços da energia dispararam desde que a Rússia invadiu a Ucrânia e a

escassez de suprimentos pode aumentar ainda mais os custos.

Há temores crescentes de que as famílias da UE não poderão arcar com o custo do aquecimento neste inverno.

O Reino Unido também pode ser afetado. Embora não dependa do Nord Stream 1 para seu gás, a suspensão do gasoduto pode aumentar ainda mais o custo do gás no atacado, o que está por trás do aumento em espiral no limite de preço da energia.

 

Faisal Islam, editor de economia da BBC, descreveu o fechamento indefinido do Nord Stream 1 como um desenvolvimento muito sério, observando que a Rússia manteve o fluxo de suprimentos para a Europa mesmo no auge da Guerra Fria.

O impasse com a Rússia forçou os países a abastecer seus próprios suprimentos de gás, com as lojas da Alemanha aumentando de menos da metade em junho para 84% hoje.

Como resultado, os preços internacionais do gás caíram na semana passada, mas continuam altos pelos padrões normais.

A Europa está tentando se livrar da energia russa em um esforço para reduzir a capacidade de Moscou de financiar a guerra, mas a transição pode não ocorrer com rapidez suficiente.

Vazamento de óleo
Gazprom divulgou uma foto do vazamento de óleo

O presidente do Conselho da UE, Charles Michel, disse que a decisão da Rússia “infelizmente não é surpresa”.

“O uso do gás como arma não mudará a determinação da UE. Vamos acelerar nosso caminho para a independência energética. Nosso dever é proteger nossos cidadãos e apoiar a liberdade da Ucrânia”, tuitou.

Moscou nega usar o fornecimento de energia como arma econômica contra países ocidentais que apoiam a Ucrânia.

Ele culpou as sanções por atrasar a manutenção de rotina do Nord Stream 1, mas a UE diz que isso é um pretexto.

O regulador de rede da Alemanha, o Bundesnetzagentur, disse que o país está agora mais preparado para o fim do fornecimento de gás russo, mas pediu aos cidadãos e empresas que reduzam o consumo.

O G7 (Grupo dos Sete) é composto pelo Reino Unido, EUA, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão.

A introdução de um teto de preço significa que os países que se inscreverem na política poderão comprar apenas petróleo russo e produtos petrolíferos transportados por via marítima que são vendidos no limite de preço ou abaixo dele.

No entanto, a Rússia diz que não exportará para países que participam do limite.

O gasoduto se estende da costa russa perto de São Petersburgo até o nordeste da Alemanha e pode transportar até 170 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

É de propriedade e operada pela Nord Stream AG, cujo acionista majoritário é a Gazprom.

A Alemanha também já havia apoiado a construção de um gasoduto paralelo – Nord Stream 2 – mas o projeto foi interrompido depois que a Rússia invadiu a Ucrânia.

A Gazprom disse que a falha foi detectada na estação de compressores de Portovaya, com a inspeção realizada junto a trabalhadores da Siemens, empresa alemã que mantém a turbina.

Ele disse que a correção de vazamentos de óleo nos principais motores só era possível em oficinas especializadas, que foram prejudicadas pelas sanções ocidentais.

No entanto, a própria Siemens disse: “Tais vazamentos normalmente não afetam o funcionamento de uma turbina e podem ser vedados no local. É um procedimento de rotina dentro do escopo dos trabalhos de manutenção”.

Esta não é a primeira vez desde a invasão que o gasoduto Nord Stream 1 foi fechado.

Em julho, a Gazprom cortou completamente o fornecimento por 10 dias, alegando “uma pausa para manutenção”. Reiniciou novamente 10 dias depois, mas em um nível muito reduzido.

Falando à BBC da capital suíça Berna, uma economista e analista de energia, Cornelia Meyer, disse que a paralisação do gás teria um grande impacto no emprego e nos preços.

“Isso realmente tem enormes ramificações para o gás na Europa, que é cerca de quatro vezes mais caro do que era há um ano, e essa crise do custo de vida realmente aumentará porque não é apenas o gás”, disse ela. “O gás vira fertilizante e é usado em muitos processos industriais, então isso afetará os empregos e afetará os cus

Isso não é coincidência. A gigante do gás da Rússia, controlada pelo Estado, anunciou uma extensão indefinida de uma interrupção de manutenção de três dias nos fluxos de gás através da principal artéria de energia do continente, horas depois que os principais ministros das Finanças ocidentais prometeram aumentar as sanções ao petróleo russo.

A razão oficial da Gazprom é que um vazamento de petróleo foi encontrado e o oleoduto não pode funcionar sem as importações alemãs de tecnologia, que agora estão sujeitas a sanções.

Poucos observadores acreditam, no entanto, que isso não seja nada além de uma tentativa essencialmente de chantagear a Europa por suprimentos.

Este é um desenvolvimento muito sério. Mesmo durante o auge da Guerra Fria, a Rússia manteve suprimentos de seu gás fluindo para a Europa.

No entanto, este corte – e a tentativa apontada da Gazprom de culpar a gigante alemã de energia Siemens pelo mau funcionamento – é o culminar de décadas de disfunção na relação energética entre a Rússia e a Alemanha.

O que achou?

comentários

Anterior

Próxima

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Share This
NewsGuerra na Ucrânia: Rússia manterá o principal gasoduto para a UE fechado