EUA fecham temporariamente posto na fronteira Arizona-México devido aumento de migrantes

 

A Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos (U.S. Customs and Border Protection – CBP) anunciou na segunda-feira (4), o fechamento temporário do porto de entrada na remota Lukeville, Arizona, em resposta ao significativo aumento no fluxo de migrantes vindos do México para os Estados Unidos. O objetivo da medida é permitir que mais agentes da Patrulha de Fronteira possam ser alocados para auxiliar na detenção e processamento dos recém-chegados. Para agilizar a remoção do país, o CBP também tem transportado alguns migrantes para instalações em Yuma, Arizona, e El Paso, Texas.

Durante o período de fechamento, o tráfego de veículos e pedestres foi redirecionado para outros portos de entrada na região. Troy A. Miller, comissário interino do CBP, informou à NBC News que a agência está trabalhando para desmantelar redes de transporte que facilitam o contrabando de migrantes do norte do México em direção à fronteira. O setor de Tucson, onde Lukeville está situado, é atualmente o que registra o maior número de encontros de migrantes ao longo da fronteira sul com o México, com mais de 55 mil encontros somente em outubro, conforme relatado pelas autoridades.

Na última sexta-feira, John Modlin, o principal agente de patrulha do setor, revelou que ocorreram aproximadamente 17.500 apreensões de migrantes em apenas uma semana. Em novembro de 2022, a área testemunhou um total de 23.411 encontros de migrantes.

Lukeville, localizada a cerca de duas horas e meia de Tucson ou Phoenix, tem enfrentado desafios para angariar recursos federais e locais destinados a acelerar o processamento dos migrantes.

Esta não é a única localidade afetada, visto que na semana passada, o CBP também suspendeu temporariamente o processamento de veículos em um posto de controle em Eagle Pass, Texas, em resposta ao aumento de encontros de migrantes na região. A duração do fechamento do posto de entrada em Lukeville ainda não foi divulgada.

fonte NBC news

O que achou?

comentários

Share This